Clima ou cultura organizacional? Qual é mais importante?

O mundo corporativo tem se modificado constantemente. Esse cenário exige das organizações um grande esforço para maximizar seus resultados e, ao mesmo tempo, garantir um ambiente interno saudável.

Em ambos os casos, a possibilidade de sucesso é inerente ao potencial humano. Assim sendo, é fundamental que as empresas procurem manter elevados níveis de satisfação entre as pessoas, visando conquistar o efetivo comprometimento delas com as metas e os objetivos organizacionais.

Nesse processo, a correta gestão do clima e da cultura organizacional vai direcionar positivamente a forma como os colaboradores trabalham para alcançar os resultados esperados.

No post de hoje, apresentaremos as principais diferenças entre clima e cultura organizacional, além de como esses dois pontos influenciam diretamente no ambiente e nos resultados de um negócio. Acompanhe!

Cultura organizacional

A cultura organizacional consiste em um conjunto de atributos físicos e psicossociais de uma organização, tais como:

  • missão;
  • visão;
  • valores;
  • princípios;
  • crenças;
  • políticas internas e externas;
  • sistemas;
  • objetivos estratégicos que caracterizam o seu modo de ser e determinam sua identidade.

Em outras palavras, trata-se de um conjunto de mecanismos, diretrizes e normas informais pelo qual a instituição gere o comportamento de seus líderes e colaboradores, para que atinjam os objetivos organizacionais. É, também, a maneira como a companhia interage com os stakeholders (clientes, fornecedores, parceiros, governo, sociedade etc.).

A cultura da empresa deve ser passada de maneira bem clara e objetiva, para que todos tenham acesso e entendam sua importância, assim como seus benefícios. Ela tem uma característica estável e de mudança lenta, mas é possível promover algumas alterações ao longo do tempo, introduzindo novos princípios e experiências.

Clima organizacional

O clima organizacional é um conjunto de propriedades mensuráveis que definem a qualidade do ambiente. Esta última, por sua vez, é percebida ou experimentada, direta e indiretamente, pelos líderes e colaboradores da empresa, influenciando comportamentos e atitudes vivenciados no dia a dia.

Ele representa o grau de satisfação material e emocional dos profissionais no ambiente de trabalho, envolvendo uma série de características, como:

  • condições de trabalho;
  • aspectos técnicos de suas carreiras;
  • estilos gerenciais e de liderança;
  • conhecimentos e processos operacionais;
  • políticas de recompensas;
  • tecnologia, entre outras.

Tudo isso acaba refletindo diretamente no engajamento dos colaboradores, bem como no relacionamento de cada um com os colegas de trabalho, superiores, fornecedores e clientes, de maneira geral.

Relação entre os dois conceitos

A relação entre clima e cultura organizacional é de causalidade. Isso significa que a cultura é a causa e o clima é a consequência. Ou seja: o clima é resultado das variáveis culturais. Ambos são fenômenos complementares e, apesar de se apresentarem de forma concreta, são intangíveis.

Nesse sentido, podemos observar que a cultura tem origem em práticas recorrentes, definidas ao longo do tempo. Já o clima é um fenômeno temporal, que diz respeito ao estado de ânimo dos funcionários de uma instituição.

A cultura organizacional é o principal fator de influência sobre o clima. Ela se manifesta por meio do relacionamento de uma empresa com seus parceiros comerciais, de suas características, dos símbolos que singularizam o seu dia a dia — e vai impactando de maneira positiva ou negativa o clima das pessoas que ali trabalham.

Clima e cultura estão relacionados e há espaço compartilhado entre eles: um e outro podem ser trabalhados simultaneamente, sem que haja a redundância de fenômenos. As ferramentas de pesquisa que buscam aferir clima e cultura são diferentes e específicas.

Assim sendo, quando o assunto é clima, as pesquisas, geralmente, são quantitativas e podem até ser realizadas internamente. Já os levantamentos referentes à cultura abordam uma compreensão profunda dos porquês do funcionamento implícito da companhia e dos significados individuais.

Logo, o mapeamento da cultura organizacional tem uma função de diagnóstico. Ele sinaliza quais elementos vigentes estão alinhados ao planejamento estratégico e aqueles que atuam como obstáculos.

Ferramentas de motivação e desempenho

Tanto a cultura quanto o clima organizacional são grandes influenciadores da produtividade na empresa. As pessoas e os grupos sofrem influência da cultura que determina o clima do ambiente, que, como resultado, afeta a produtividade do indivíduo e, consequentemente, o desempenho da empresa.

Dessa forma, uma forte cultura organizacional e um clima favorável propiciam aos funcionários uma estrutura de trabalho capaz de articular e promover o desenvolvimento pessoal, profissional e conjunto, simultaneamente.

Como resultado, a companhia obterá um alto nível de desempenho, pois a motivação está diretamente ligada a pontos como:

  • desafios e responsabilidades;
  • sentido de utilidade;
  • perspectiva de desenvolvimento;
  • feedback;
  • reconhecimento;
  • segurança;
  • ambiente estável;
  • autonomia e flexibilidade;
  • remuneração justa;
  • plano de carreira.

Além disso, uma boa gestão da cultura e do clima nas organizações pode trazer muitos benefícios. Alguns deles são:

  • retenção de talentos;
  • treinamentos alinhados com os objetivos da instituição, gerando resultados;
  • otimização da comunicação interna;
  • maior comprometimento dos colaboradores;
  • aumento da produtividade;
  • redução do índice de doenças psicossomáticas;
  • melhor integração entre os setores;
  • aumento da credibilidade.

Impacto sobre os resultados da empresa

Como já mencionado, por se constituir num poderoso mecanismo de controle do comportamento, a cultura organizacional tem forte impacto sobre grande parte das propriedades empresariais.

Quando uma empresa não se preocupa adequadamente com sua cultura e seu clima, surgem outras divisões subculturais. Exemplo disso são os grupos sociais, que podem criar diferentes regras ou padrões de comportamento e impactar de forma crítica a rotina de trabalho, prejudicando seu funcionamento.

É muito importante lembrar que nem todos os grupos e profissionais estarão completamente comprometidos com a instituição em que trabalham. Isso resulta no surgimento de uma contracultura oposta aos valores organizacionais.

Consequentemente, é gerado um clima de tensão, insatisfação e angústia — que origina, por sua vez, diversos problemas capazes de afetar o equilíbrio emocional do profissional. Seu bem-estar físico e mental é influenciando, atrapalhando ou, até mesmo, impedindo o cumprimento de suas tarefas.

Logicamente, tudo isso provoca a queda da produtividade, comprometendo os resultados da organização. Portanto, é fundamental delinear uma cultura organizacional que contribua efetivamente para o bom desempenho do profissional, assim como da empresa.

Agora que você já conhece a importância da cultura e do clima organizacional para um negócio, compartilhe este post com seus amigos nas redes sociais e ajude-os a também adquirir conhecimento!

Deixe um comentário
Share This