Criatividade e inovação: 7 ferramentas para alavancar resultados

Acreditar que criatividade e inovação são atributos apenas de mentes brilhantes, como Mark Zuckerberg, é um grande erro, pois todos podem aprender e desenvolver esses pontos. E é fato que, atualmente, são condições de sobrevivência de qualquer negócio.

É necessário, para vencer a concorrência, estar sempre em busca de diferenciais competitivos e construir uma cultura de negócios criativa no ambiente de trabalho.

Donos de grandes, médias ou pequenas empresas buscam, constantemente, pela inovação, visto que desejam aumentar a produtividade, reduzir gastos e melhorar a qualidade dos serviços. E ter uma postura criativa é o caminho para assegurar bons resultados.

Se pensarmos que uma empresa necessita sobreviver e crescer e isso depende de inovação e melhoria, a criatividade passa a ser um ponto central no mundo dos negócios.

Desse modo, preparamos uma lista com 7 ferramentas para ajudar você a criar uma metodologia empresarial que inspire a busca por soluções criativas. Confira e amplie a chance de sucesso no seu negócio com criatividade e inovação. Boa leitura!

1. Canvas

O Canvas, também conhecido como Business Model Canvas, é uma ferramenta de planejamento estratégico, que desenvolve e esboça modelos de negócios novos ou aqueles que já existem. Trata-se de um mapa visual que contém nove blocos. São eles:

  • proposta de valor: é o que a empresa oferece ao mercado e que realmente tem valor para os clientes;
  • segmento de clientes: quais os segmentos serão o foco da empresa;
  • os canais: como o produto é comprado e recebido pelo cliente;
  • relacionamento com clientes: como a empresa se relacionará com cada segmento de cliente;
  • atividade-chave: quais as atividades primordiais para entregar a proposta de valor;
  • recursos principais: os recursos necessários para realizar as atividades-chave;
  • parcerias principais: as atividades-chave são realizadas de forma terceirizada e os recursos são adquiridos fora da empresa;
  • fontes de receita: as maneiras de receber receita por meio das propostas;
  • estrutura de custos: os custos importantes para que a estrutura funcione.

Dessa forma, todas essas ideias apresentadas nos blocos formam o conceito do negócio, isto é, a forma como vai operar e gerar valor no mercado.

2. Matriz de Correlação

Essa ferramenta faz uma representação gráfica simultânea de duas variáveis que estão relacionadas a um mesmo processo. Dessa forma, a matriz mostra o que acontece com uma variável quando se tem uma alteração da outra, sendo possível verificar a relação entre elas.

Ou seja, a partir dela você pode fazer uma análise de todos os dados que estão envolvidos no processo, avaliando as variáveis que se relacionam entre si.

Por exemplo, com a matriz de correlação pode-se definir por iniciar ou não um negócio a partir da relação entre fatores, observando se há correlação forte, média ou fraca entre ambas. 

3. Mapa Mental 

Trata-se de uma ferramenta que auxilia na rotina diária de uma empresa, no planejamento do negócio e na identificação de novas oportunidades.

O mapa mental para empreendedores faz uso de uma informação central que oferece diversas informações distintas e, assim, uma organização do pensamento vai sendo realizada.

Portanto, é uma técnica que tanto empreendedores  quanto colaboradores podem se beneficiar, visto que, por meio dela, é possível organizar e discutir os pensamentos e as ideias a respeito dos assuntos da empresa.

4. Kaizen

Essa metodologia ficou conhecida por ser um sistema que gera resultados incríveis para as empresas e permite que elas reduzam o custo, aumentando, consequentemente, o lucro e a produtividade

O sistema Kaizen prega que nenhum dia pode passar sem que alguma melhoria tenha sido implantada nos negócios, seja na vida dos funcionários ou na estrutura organizacional.

São 3 as premissas da metodologia que surgiu no Japão: clima agradável no trabalho, ambiente simples, funcional e organizado, além de estabilidade financeira e emocional dos funcionários

Alguns mandamentos desse sistema de melhoria contínua são:

  • direcionamento apenas para a melhoria dos processos;
  • pode ser aplicado em qualquer empresa ou local;
  • as ações precisam ser focadas onde há mais necessidade;
  • todo e qualquer desperdício deve ser eliminado;
  • o aumento da produtividade deve ser em ações que não demandam muito investimento;
  • todos os colaboradores precisam se comprometer com o processo de melhoria.

Lembrando que as mudanças são graduais e nunca bruscas, pois trata-se de melhorias da rotina e a estabilidade da estrutura não é afetada. 

5. Diagrama de Causa e Efeito

Essa é uma forma muito prática de resolver diversos problemas em um negócio. O Diagrama de Causa e Efeito, também conhecido como Diagrama de Ishikawa ou ainda Espinha de Peixe, é uma ferramenta que procura as causas dos problemas baseando em um efeito negativo que deseja eliminar.

Esse é um diagrama que, além de solucionar problemas, busca melhoria nos processos, fazendo as coisas funcionarem melhor na empresa. Quando é elaborado, ele se assemelha a uma espinha de peixe, por isso ele é conhecido por esse nome também.

É relevante frisar que essa ferramenta é uma das 7 ferramentas da qualidade utilizadas para o gerenciamento e controle. A sua composição considera que as causas dos problemas podem ser classificadas em 6 tipos: Método, Máquina, Medição, Meio Ambiente, Mão de Obra e Material, os chamados 6M’s.

6. Sistema de Sugestões

Essa é uma ferramenta muito eficaz para melhorar algum tema específico da empresa. Esse sistema possui uma estrutura básica simples, dependendo da necessidade da empresa, e pode ser realizado por meio da internet, portais corporativos, formulários, fichas, entre outros.

Dessa forma, a partir dele, é possível analisar as ideias dos colaboradores em relação aos problemas que tenham sido identificados no ambiente produtivo. Assim, caso sejam aprovadas, elas são recompensadas. Logo, são 3 procedimentos para o sistema de sugestões:

  • registro da ideia: onde todos os funcionários participam, seja individualmente ou em grupo;
  • análise: as ideias são analisadas pela equipe técnica e são dividas em ideias mensuráveis (retorno pode ser quantificado) e não mensuráveis (as avaliações são qualitativas);
  • premiação: as ideias mensuráveis são recompensadas com valores estipulados previamente e as não mensuráveis recebem pontos que podem ser trocados por prêmios, que não são financeiros.

7. Poka Yoke

Essa é uma ferramenta japonesa (pronuncia-se poca-ioquê) que significa “à prova de erros”. Uma técnica de gestão da qualidade que evita falhas em processos e ainda reduz gastos. Por isso, é indicada para as empresas que desejam reduzir defeitos nos produtos, na administração dos negócios, na operação, entre outros.

O Poka Yoke foi implantado no sistema Toyota de Produção há um bom tempo e já foi validado por empresas de todo o mundo.

O nome pode até parecer engraçado, mas a função dessa ferramenta é muito eficaz, já que previne riscos e erros tanto nos processos quanto nas ações humanas, e sempre por meio de ações simples.

É importante utilizar ferramentas como essas no seu negócio para garantir sucesso e bons resultados. Aliás, acomodação só serve para prejudicar a empresa e não propicia criatividade e inovação.

Grandes empreendedores têm a consciência de que ideias criativas e inovadoras precisam estar na lista de prioridades dos negócios nos dias atuais. Portanto, valide as ideias e coloque-as em prática!

E aí, o que achou do post sobre as ferramentas para alavancar resultados na empresa com criatividade e inovação? Gostou? Então, siga as nossas páginas nas redes sociais para acompanhar as nossas atualizações: estamos no Facebook, no Linkedin e no Instagram!

Deixe um comentário
Share This