Plano de carreira: uma ferramenta para o desenvolvimento

importância do plano de carreira

Tornar a área de Recursos Humanos estratégica para uma empresa envolve diversos desafios. Entre os principais, está o de ter um planejamento de médio e longo prazo perfeitamente alinhado com os planos estratégicos do negócio. Para tanto, é essencial adotar uma visão clara do que esperar e de como desenvolver pessoas para que elas estejam sempre preparadas. E uma das melhores ferramentas para conseguir isso é um plano de carreira bem definido.

Trata-se de um recurso essencial para que empresa e colaboradores atinjam objetivos de maneira eficiente e sem perda de foco, gerando resultados consistentes. Sua aplicação permite o desenvolvimento sustentável em diversos níveis, a geração contínua de motivação para o crescimento, a retenção de talentos e a redução da taxa de rotatividade.

Quer entender melhor essa ferramenta e saber como colocá-la em prática? Então, continue lendo este artigo e saiba mais sobre suas vantagens!

O que é um plano de carreira?

O plano de carreira consiste em um programa documentado no qual são alinhados objetivos profissionais e caminhos a serem trilhados para atingi-los. Ele oferece um direcionamento para a carreira, estipula prazos e lista desafios, apontando, por exemplo, pontos que precisam ser desenvolvidos e como buscar tal aperfeiçoamento.

Dentro de uma organização, é esse programa que determina qual a rota de crescimento de cada colaborador e quais competências ele deve adquirir para superar cada etapa. Um bom plano de carreira é aquele que alinha duas expectativas: a do funcionário quanto à sua carreira e a da empresa quanto às suas necessidades.

Ter isso de forma clara, transparente e bem estruturada é um fator estratégico determinante para que se possa atuar na gestão de pessoas no médio e curto prazo.

Por que ele é importante para a empresa?

Oferecer aos colaboradores uma trilha bem definida de crescimento traz inúmeros benefícios para as companhias. O primeiro deles é dar foco e segurança para as pessoas. Sabendo até onde podem chegar e do que precisam para tanto, elas se mantêm mais focadas e seguras em suas decisões. Isso resulta em maior assertividade e agilidade na execução de tarefas.

Aspectos como motivação e redução da rotatividade também são impactados. Por ter muito claro quais são seus objetivos e as formas de alcançá-los, a equipe tende a se sentir mais determinada.

Há, ainda, a percepção de que a empresa oferece oportunidades de crescimento de forma transparente. Ao verem essas vantagens, as pessoas se sentem mais engajadas com a organização. E os resultados são:

Estrategicamente, torna-se possível contribuir para o crescimento do negócio. Isso porque crescer significa demanda por novos cargos, lideranças e pessoal capacitado para assumir novas responsabilidades. Ter tudo planejado, com estimativas de desenvolvimento de competências e pessoas preparadas, é importante para que o RH mostre sua relevância no suporte à evolução da empresa.

E por que é fundamental para o colaborador?

Um colaborador insatisfeito, desmotivado e sem perspectiva representa um grande gargalo de produtividade, capaz até de contaminar outras pessoas. Por isso, o estímulo à elaboração de um plano de carreira afeta não apenas suas possibilidades dentro da companhia, mas, principalmente, sua própria perspectiva de evolução.

A partir de uma relação transparente, é possível que o profissional descubra se continuar na organização é a melhor opção para o seu caso. Dessa forma, ele entende melhor seus anseios e, se descobrir que não é ali que vai alcançá-los, abre espaço para outros e tem a chance de buscar sua realização.

É estabelecida, assim, uma relação honesta e madura, que traz ganhos para todos. Isso porque tanto a empresa quanto o indivíduo poderão encontrar o melhor caminho para seus objetivos.

Qual o papel do RH no plano de carreira?

Sem dúvidas, a área de Recursos Humanos ocupa um papel de protagonismo quando se trata de criar um plano de carreira. Além de definir os parâmetros, as métricas e as trilhas, há também o desafio de encontrar o equilíbrio entre as necessidades da organização e as expectativas do colaborador.

Esse é um aspecto que envolve desde os contratados até os candidatos às vagas. Isso porque, já no processo seletivo, é possível identificar qual trilha a pessoa pretende seguir e saber se ela se encaixa naquilo que a companhia precisa.

Também os gestores de cada setor devem estar alinhados e capacitados para dar suporte a seus subordinados. Por meio de feedbacks, avaliações e acompanhamentos, eles têm um papel fundamental na motivação e na orientação da carreira de cada membro do time.

Outro ponto importante é realizar um trabalho que estimule cada colaborador a ser protagonista de sua própria carreira. Isso vai além de depender exclusivamente da empresa para buscar aperfeiçoamento. Ao assumir essa posição, o profissional passa a procurar continuamente por novas oportunidades de capacitação, sempre focado em seus objetivos.

Como desenvolver e implantar um?

A primeira condição para se criar um plano de carreira consistente é fazer um diagnóstico completo. É preciso mapear uma série de pontos, identificando necessidades e analisando aspectos como:

  • política salarial;
  • infraestrutura;
  • organograma;
  • descrição dos cargos;
  • cultura e clima organizacional;
  • perfil dos colaboradores;
  • competências.

A partir do mapeamento, será possível identificar a melhor maneira de pensar estrategicamente a elaboração do plano. É importante que ele busque o melhor casamento entre o que a organização precisa e o que desejam os colaboradores. É desse alinhamento que podem surgir uma maior produtividade e os melhores resultados.

Como parte da implantação, é preciso oferecer meios e oportunidades para que os profissionais se desenvolvam dentro de suas especialidades. E é aí que entram o planejamento de capacitação e os treinamentos. Veja alguns exemplos de como promover o desenvolvimento de competências:

  • ensino a distância;
  • cursos presenciais fora da empresa;
  • cursos in company;
  • programa de coaching;
  • programa de mentoring;
  • job rotation.

Como já foi dito, a implementação de um plano de carreira é uma das maneiras de o RH atuar estrategicamente. Isso exige planejamento, visão de longo prazo e um bom alinhamento com as perspectivas do negócio.

Trata-se também de uma forma de gerar resultados consistentes e melhorar a competitividade. Assim, será possível reter talentos e desenvolver profissionais cada vez mais preparados para os desafios do mercado.

Você já tem um plano de carreira? E sua empresa? Deixe um comentário e conte sua experiência!

Deixe um comentário
Share This