7 ferramentas de controle de qualidade: quais são elas e como aplicá-las?

Em uma sociedade extremamente competitiva como a de hoje, fornecer serviços e produtos de qualidade é fator primordial para que uma empresa não se torne obsoleta ou perca sua credibilidade perante o público externo e interno.

Além disso, a qualidade do que está sendo oferecido é o que garante a consolidação da marca e, até mesmo, a preferência dos clientes. Atualmente, temos muitos produtos semelhantes e com preços quase iguais. Logo, o que torna um item diferente é sua constância e durabilidade.

Portanto, as entidades devem começar a incorporar ao dia a dia recursos capazes de tornar os produtos e serviços excelentes. Fazer o uso de ferramentas de controle de qualidade e ser capaz de desenvolver o autogerenciamento da rotina da corporação são características indispensáveis para o sucesso de um negócio.

No artigo de hoje, vamos apresentar 7 instrumentos de gestão da qualidade e as formas de aplicá-los, para que você seja capaz de alavancar seus resultados e manter-se competitivo no mercado. Continue a leitura e confira!

1. Diagrama de Pareto

O Diagrama de Pareto é um sistema de barras que tem o intuito de enumerar as ocorrências de problemas, das mais frequentes para as que menos ocorrem. Essa diagramação é interessante, pois possibilita que sejam observadas as questões prioritárias e aquelas que podem ser solucionadas com mais calma.

Dessa forma, os líderes podem se programar para ir resolvendo uma por uma gradativamente, da mais ocorrente para a menos ocorrente. Como consequência, é possível eliminar a sequência de adversidades que vão surgindo. 

Além disso, é avaliado o motivo da recorrência de certos problemas e são tomadas ações estratégicas para que eles não se repitam. Geralmente, um revés permanece porque, em vez de se estar atento às causas, dá-se muito mais atenção às consequências. Mas lembre-se de que é arrancando a raiz que se elimina um contratempo.

2. Diagrama de Causa e Efeito

Para desenvolver uma gestão estratégica, a antecipação de problemas é primordial. A dinâmica do Diagrama de Causa e Efeito se baseia em enumerar as possíveis causas para os respectivos problemas.

Com isso, torna-se possível cortar o problema pela raiz, afinal, sabendo quais são as ações que levam aos resultados negativos, essas causas são eliminadas. Ou seja: são implantadas medidas preventivas para que comportamentos que resultem em um contratempo não sejam adotados.

Além disso, com o uso do Diagrama de Causa e Efeito, você avalia quais são os erros que geram prejuízos mais frequentes na organização. Assim, se necessário, poderia ser fornecido até mesmo um treinamento para que os colaboradores não atuem com essa dinâmica de atos falhos.

Tal iniciativa é capaz até de engajar mais os funcionários. Afinal, eles estarão mais bem qualificados e direcionados a resolverem suas questões, atuando com excelência.

3. Histograma

O Histograma é uma das ferramentas de controle de qualidade mais interessantes, pois fornece um caminho viável para analisar a distribuição de dados. Ter uma gestão dos dados coletados e fornecidos é de extrema relevância para se conseguir controlar as informações presentes na corporação e, com isso, minimizar equívocos.

4. Fluxograma

O Fluxograma é um recurso de controle de qualidade capaz de mapear a dinâmica dos processos desenvolvidos para se chegar ao resultado final de um produto. Ele trabalha com a apresentação das etapas e a tomada de decisão.

Trata-se de uma ferramenta extremamente importante para conseguir direcionar as pessoas responsáveis pelo ato a não se perderem e a realizarem o procedimento padrão de forma a não cometerem erros ou tomarem ações que sejam diferentes do que já está padronizado.

5. Carta de Controle

A Carta de Controle tem o objetivo de verificar se os produtos e serviços vão gerar resultados consistentes e mensuráveis. Isso é interessante para verificar qual retorno será obtido de determinado trabalho e conseguir avaliar se mudanças serão necessárias — ou se é possível obter lucros e seguir com o procedimento dessa forma.

Além disso, tal recurso é importante no momento de qualificar as práticas que devem permanecer na organização e aquelas que podem ser dispensadas do dia a dia corporativo, dando espaço a outras que geram melhores resultados.

6. Diagrama de Dispersão

O Diagrama de Dispersão é um gráfico capaz de explicitar a relação existente entre duas variáveis. Essa ferramenta é importante, pois controla possíveis problemas que podem aparecer na produção.

Tendo conhecimento de como uma variável pode influenciar a outra, ações são tomadas para que não haja um efeito negativo na junção de ambas. E, em certos casos, é necessário que elas sejam separadas, para que não sejam criados conflitos e demais naturezas danosas.

7. Folha de Verificação

A Folha de Verificação corresponde a tabelas ou planilhas usadas com o objetivo de realizar a coleta e a análise de dados. Trata-se de uma opção interessante, já que facilita a coleta de dados provenientes de um problema.

Ser capaz de coletar informações fornecidas por um contratempo é indispensável para gerar soluções coerentes e fazer com que o problema não se repita. Além disso, torna-se viável realizar melhorias contínuas, aprendendo com as falhas cometidas e buscando criar novas estratégias para que tais erros não se repitam no dia a dia da organização.

Deixar essas ferramentas alinhadas com os demais colaboradores é de extrema importância para que a companhia possa, como um todo, ampliar sua sabedoria por meio da coleta de dados de um problema.

Como vimos, incorporar ao cotidiano tais ferramentas faz com que os resultados se tornem melhores e os problemas sejam identificados ou eliminados. Para o gestor, atentar a isso é importantíssimo na hora de manter a excelência dos processos e a qualidade dos serviços. 

Para que sejam aplicadas de maneira eficiente, as ferramentas de controle de qualidade devem fazer parte do programa de treinamento dos colaboradores da empresa. Dessa forma, tais práticas estarão alinhadas, gerando cada vez mais resultados e excelência no momento de criação de estratégias e elaboração das atividades.

Vale lembrar, ainda, que fazer uso desses instrumentos de gestão da qualidade é primordial para manter a competitividade do negócio.

E então? Pronto para aplicar as ferramentas de controle de qualidade? E quer receber mais conteúdos como este em sua caixa de entrada? Basta assinar nossa newsletter!

Deixe um comentário
Share This