ISO 14001: entenda suas principais mudanças

De fato, a questão ambiental já está em pauta há alguns anos dentro do meio corporativo. A necessidade de promover desenvolvimento sustentável e ações que protejam o meio ambiente é a realidade de muitas empresas da atualidade. E uma das principais normas que regulamentam essa prática é a ISO 14001.

Neste post, veremos quais foram as principais atualizações da nova versão dessa norma, e os principais motivos por trás das mudanças. Continue lendo e confira!

O que é a ISO 14001?

ISO é a abreviação de Organização Internacional de Normalização, uma entidade que reúne normas de interesse técnico e econômico para diversos países — sendo o Brasil membro da ISO desde 1947.

Entre as suas diversas normas está a ISO 14001, que auxilia as organizações na proteção do meio ambiente e na diminuição do impacto ambiental relativo às suas atividades em equilíbrio com as necessidades socioeconômicas. Por conta disso, a norma se tornou a segunda mais procurada pelas empresas, atrás apenas da ISO 9001.

Como dissemos, ela estabelece diretrizes para que as empresas criem políticas ecologicamente corretas e de desenvolvimento sustentável, minimizando os impactos das suas ações no ambiente.

Por que a ISO 14001 mudou?

Todas as normas da ISO sofrem alterações periódicas para se adequar à realidade da economia mundial — e a ISO 14001 não fica de fora disso. Começando a ser revisada em 2011, em setembro de 2015 ela foi substituída por sua nova versão.

Para se adaptar às necessidades de desenvolvimento sustentável das empresas da atualidade, ela une a preocupação com o crescimento econômico da empresa à proteção do meio ambiente. Assim, agrega ainda mais valor às empresas que decidirem implementá-la, por meio da atuação em três focos: meio ambiente, sociedade e economia.

Vejamos, então, quais foram as principais mudanças e como se adaptar a elas.

Quais foram as principais mudanças da ISO 14001?

Atuação estratégica

A gestão ambiental precisa atuar de maneira estratégica dentro das empresas para, efetivamente, gerar os resultados esperados, prevenir ou reduzir os efeitos indesejados, e alcançar a melhoria contínua.

Nesse sentido, a nova norma propõe ações interligadas dentro da organização, visando atingir o seu principal objetivo (a proteção do meio ambiente) pela integração dos setores e objetivos estratégicos da organização.

As diretrizes estratégicas e objetivos da organização a longo prazo, devem ser estabelecidos com o propósito de melhorar o sistema de gestão ambiental, proporcionando a proteção do meio ambiente e seu desenvolvimento sustentável, alinhado com todos os setores da empresa, e com clareza de metas e ações.

Foco em desenvolvimento sustentável e no ciclo de vida

É fato que a preocupação com o meio ambiente não só preserva o planeta, mas também pode trazer lucros para a empresa. Isso porque o uso inadequado de matérias-primas, o desperdício e a gestão inadequada dos resíduos geram gastos elevados para a empresa.

Diante disso, a nova versão da ISO 14001 traz como um dos seus grandes focos a preocupação com o desenvolvimento sustentável das organizações, avaliando os aspectos e impactos ambientais nos estágios do seu ciclo de vida que podem ser controlados ou influenciados pela empresa e não apenas no produto ou serviço final do negócio.

As empresas que escolherem adotar a ISO 14001 devem promover o seu crescimento econômico de maneira alinhada à preservação do meio ambiente, preocupando-se em suprir suas necessidades atuais sem esgotar os recursos para as gerações futuras.

E isso traz a ISO 14001 para perto do cenário econômico mundial, tornando-a mais coerente com a realidade das empresas. Além disso, faz com que a adoção dessa norma se torne mais vantajosa para as empresas, como um todo.

Atendimento aos Stakeholders

Um sistema de gestão eficaz, deve envolver do porteiro ao diretor para atender às necessidades dos stakeholders e essa foi uma das grandes mudanças na nova versão da ISO 14001.

Mapeadas as necessidades, elas se tornam requisitos organizacionais e devem ser levadas em consideração no planejamento do sistema de gestão ambiental e devem ser do conhecimento de todos.

Mudanças na liderança

Por visar uma integração maior entre os setores da empresa em direção a atitudes ecologicamente corretas, a ISO 14001 traz mudanças em relação à liderança. Ela não mais propõe, por exemplo, a nomeação de um RD (representante de direção), que seria o membro da empresa responsável pela implementação e avaliação da ISO 14001 na empresa.

Agora, a proposta é que essa função seja dividida pelos gestores e lideranças da organização, sendo todos responsáveis pela gestão ambiental da empresa. Isso traz maior integração entre os setores e áreas da empresa e leva a responsabilidade para toda a equipe, em vez de centralizá-la na figura de uma só pessoa.

Gestão de riscos e oportunidades

Esse item foi incluído na última versão da ISO 14001 como uma forma de levar para as empresas a preocupação com as consequências futuras das suas ações, tanto de forma positiva quanto negativa.

No que se refere à gestão de riscos, ela considera que muitos eventos e consequências futuras não podem ser previstos com precisão, uma vez que há sempre um deficit de informações. Portanto, as empresas devem se preocupar com a probabilidade de impactar de maneira negativa o meio ambiente e minimizar esses riscos ao máximo.

A gestão de riscos e oportunidades gera a possibilidade de prevenção para o sistema de gestão ambiental e por este motivo o requisito sobre ações preventivas foi excluído na nova versão.

Já em relação às oportunidades, a ISO 14001 passa a considerar que algumas ações têm maior probabilidade de trazer impactos positivos para a empresa e o meio ambiente que a cerca. Essas ações devem ser valorizadas e implementadas nas organizações.

Melhoria contínua

A ISO 14001 não se preocupa apenas com as melhorias a serem realizadas no momento atual, mas com o aumento dos resultados ambientais esperados e o cumprimento das obrigações legais do negócio.

Com isso, seu objetivo é direcionar as empresas a promover cada vez mais ações que gerem impacto ambiental positivo.

Texto mais simples

Uma das mudanças na ISO 14001 foi mais estrutural, referente ao seu texto e forma de apresentação. O texto e a documentação se tornaram mais simples e claros, visando maior entendimento de todas as partes envolvidas no processo de normalização da empresa.

Enfim, promover o desenvolvimento sustentável e se preocupar com os impactos ambientais das ações da sua empresa é uma necessidade do mercado. E a última versão da ISO 14001, como vimos, traz diversos avanços no que se refere à coerência com a realidade da economia mundial. Com isso, ficou mais simples promover mudanças positivas na sua empresa!

Agora, se este post te ajudou a entender um pouco mais sobre as mudanças da ISO 14001 e a adequar a sua empresa a essas normas, compartilhe-o nas suas redes sociais! Assim você ainda ajuda outras empresas a promover o desenvolvimento sustentável.

Deixe um comentário
Share This