Por que empresas passaram a investir em trabalho voluntariado? Entenda

Visto por muito tempo como algo que deveria ser praticado apenas por instituições religiosas, escolares ou individualmente, o trabalho voluntariado alça novos rumos e ganha cada vez mais força dentro das organizações.

Muitas empresas estão percebendo que as vantagens desse tipo de realização são imensuráveis, pois vão de mais engajamento das equipes, melhores resultados para a empresa à satisfação pessoal dos colaboradores envolvidos.

No entanto, a responsabilidade social deve ser um dos principais motivos para as ações. Afinal, a comunidade na qual a empresa está inserida é um reflexo do estilo de administração exercido pela companhia.

Se você se interessa pelo voluntariado, quer entendê-lo melhor e saber como incentivar sua empresa a praticá-lo, acompanhe este post!

Reflexos do trabalho voluntariado em contratações

Atualmente, as tecnologias disponíveis facilitam não somente a aquisição de informações, mas também proporcionam enriquecimento curricular por meio de cursos EAD (Educação a Distância), deixando mais acirradas as disputas por boas vagas de emprego.

Portanto, os responsáveis por recrutar e selecionar os melhores candidatos adotam critérios cada vez mais rígidos na contratação de novos talentos. Por vezes, a procura do RH deve se pautar em diferenciais mínimos entre um entrevistado e outro. E é nesse contexto que o profissional que tem o voluntariado em seu currículo se destaca.

Esse tipo de atividade não é favorável apenas para quem recebe. É benéfica também para quem a pratica, pois, ao dedicar parte do seu tempo para ajudar o próximo, o voluntário desenvolve habilidades que são muito úteis no dia a dia de uma empresa, tais como comprometimento, boa comunicação, liderança e trabalho em equipe. Ele ainda aumenta sua sensibilidade, humanidade e pró-atividade, componentes essenciais para lidar com problemas de uma corporação.

Apesar de ser bastante solidário em catástrofes e em situações de dificuldade extrema, o brasileiro ainda está longe de ter uma cultura na qual o trabalho voluntário não seja uma exceção e, sim, uma regra. Por isso, prestar serviços cuja finalidade não é a remuneração financeira é tão valorizado no âmbito empresarial.

A mesma lógica é aplicada na hora de promover alguém a um cargo melhor. Afinal, se um funcionário tem empatia e consegue ser solidário à dor do outro, ele age segundo um padrão ético e é mais consciente de suas responsabilidades.

Assim sendo, é grande a probabilidade de que esse indivíduo seja mais cooperativo em seu local de trabalho, com os seus colegas de equipe, e isso é essencial para que todos tenham um melhor desempenho e aumentem sua produtividade. 

O serviço voluntário diz muito sobre o perfil comportamental de uma pessoa. E é muito bom para as organizações terem profissionais com essa atitude, pois, em situações que a maioria das pessoas teriam dificuldades em reagir, eles são capazes de fazer a diferença e trazer a inovação.

Isso porque, outra habilidade conquistada por indivíduos que se ocupam em causas voluntárias é a de trabalhar, em muitos casos, com recursos escassos, tendo que usar da criatividade. Esse fato é comum a grande parcela dos projetos sociais.

Engajamento dos profissionais

Um dos maiores desafios do RH é engajar os colaboradores e mantê-los motivados. Entretanto, as companhias que aderiram ao trabalho voluntariado como uma prática recorrente, perceberam grande melhora na produtividade de suas equipes.

E as razões não são de difícil dedução. Pesquisas comprovam que ajudar o próximo deixa os indivíduos mais felizes. Eles se tornam pessoas melhores e sentem que fazem parte de algo maior, que estão auxiliando no crescimento da sociedade e transformando o mundo em um lugar mais aprazível.

Dessa maneira, os colaboradores aumentam seu grau de felicidade e de produção. O voluntariado é uma ação que exige comprometimento e disciplina, o que reflete na atitude de uma pessoa também no seu ambiente de trabalho.

Outra vantagem do serviço feito em favor do social é o exercício de potencialidades e características que, por vezes, não são desenvolvidas nas empresas. Alguns se descobrem líderes, mesmo que não seja essa sua função no cotidiano laboral. E, saindo da sua zona de conforto, o colaborador percebe seu progresso pessoal e profissional.

Já no panorama geral da organização, o trabalho voluntariado promove uma maior integração da equipe, as diversas áreas e os níveis hierárquicos perdem suas classificações nos mutirões, e isso contribui para um clima de cooperação e camaradagem. Com a melhora nos relacionamentos, o trabalho fica mais alinhado e é possível manter o engajamento.

Responsabilidade social

A responsabilidade social, conceito que vai muito além da filantropia, é quando, de maneira voluntária, organizações adotam posturas e ações em prol do seu público interno e externo, promovendo o bem-estar desses indivíduos e proporcionando o desenvolvimento da sociedade em vários âmbitos.

Os aspectos de tais práticas não devem ser confundidos com atividades compulsórias exigidas pelo governo ou visando qualquer vantagem condicionada, como descontos fiscais. Os benefícios devem ser direcionados para a coletividade: colaboradores, sociedade, parceiros e/ou meio ambiente.

A responsabilidade social precisa ser entendida como um processo contínuo e de melhorias da corporação e de sua relação com o público interno ou externo. O viés assistencialista deve ser deixado de lado, uma vez que a lógica embutida tem a ver com o desenvolvimento da sustentabilidade e o crescimento responsável.

Não há dúvidas de que, ao se envolver em projetos sociais, a empresa tem a sua imagem melhorada tanto para a sociedade quanto para o mercado. Contudo, o mais importante, quando existe um interesse legítimo, é ajudar e retribuir a comunidade em que ela está inserida.

Há algum tempo, a maior preocupação das grandes instituições empresariais era obter cada vez mais lucro. Com o passar dos anos e as constantes mudanças nas relações entre contratante e contratado, e também entre empresa e sociedade, a ética começa a ocupar um lugar de destaque nas organizações, que se veem tendo que ser mais transparentes e humanizadas.

A partir desse momento, a busca por lucratividade não deixa de ter valor, mas passa a coexistir com uma visão empreendedora também preocupada com o meio social no qual a organização está localizada.

Empresa e voluntariado

As empresas têm grande importância para as comunidades. São representações reais de oportunidades e melhoria na qualidade de vida daqueles que estão à sua volta. Por esse motivo, todas as suas ações têm reflexo direto na existência desses sujeitos.

Os objetivos estabelecidos devem ser compatíveis com o desenvolvimento sustentável, além de preservar os recursos ambientais e a cultura para as próximas gerações de moradores/trabalhadores. Devem, ainda, proporcionar o crescimento pessoal e profissional das pessoas ligadas a ela, direta ou indiretamente.

O voluntariado, por ter um impacto positivo e significativo na comunidade, é uma ferramenta mais que eficaz para atingir tais objetivos. Portanto, para que a corporação seja bem vista no quesito socioambiental, ela deve despender esforços para que seu quadro de funcionários dê o exemplo e sirva à comunidade com seu tempo e seus conhecimentos.

Formas de realizar o voluntariado

Muitas organizações, ao perceberem a relevância do trabalho voluntariado, desenvolvem programas próprios. Outras empresas firmam parcerias com algumas instituições que já têm projetos em andamento.

Seja de uma forma ou de outra é fundamental que as equipes sejam incentivadas a participarem do voluntariado. É evidente que ninguém deve ser forçado a realizar tais trabalhos, caso contrário, o termo “voluntário” deixaria de fazer sentido. Porém, há muitas formas de promover as ações, demonstrando aos colaboradores que fazer parte das atividades traz inúmeros benefícios.

Abaixo, listamos algumas ações que podem ser realizadas:

  • auxiliar na reforma de entidades sociais;

  • promover atividades educativas nas quais os colaboradores serão os professores;

  • organizar campanhas de doação de roupas, utensílios, alimentos etc.

  • fazer visitações a escolas, creches, asilos, hospitais e abrigos infantis;

  • construir casas para população em área de risco e/ou em situação precária.

O trabalho voluntariado modifica a visão de mundo das pessoas. No geral, elas passam a dar mais valor para suas próprias vidas e a reavaliar a importância de seus problemas. Ao estimular essa prática, as empresas garantem uma melhora na condição social da comunidade e promovem a solidariedade e o cuidado com o próximo.

Este post foi útil para você? Então, siga-nos no Facebook, Instagram e Linkedin e receba sempre nossas novidades!

Deixe um comentário
Share This